Sábado, 13 de Março de 2010

Vida de estudante é muito fodida///▲

Photobucket

A maioria nem sabe o que anda a fazer lá. Mas eu digo. Andar na escola só nos faz bem. Não é que foder o cérebro todo com assuntos de merda seja bom. Porque definitivamente não é. Mas tem uns quantos outros aspectos positivos que não envolvem marrar de manhã até á noite. Passo a explicar. As aulas ás 8 e meia. É excelente. De manhã é que se começa o dia. E como diz gente velha, “deitar cedo e cedo erguer...”. Enchemo-nos logo de saúde assim.

 Partimos para outro aspecto. Andar na escola mantêm-nos em forma. A sério. Ou vão dizer que andar a carregar o peso dos livros, ás costas, de um lado para o outro, o dia inteiro, não é desgastante? E se desgasta, queima-vos calorias. Gordas. E isto já sem meter as aulas de educação física ao barulho ou as vezes em que saímos de casa a correr porque já estamos atrasados e mais que atrasados. Mas se não andam a estudar, que andam lá a fazer? Outro aspecto positivo. Vocês não estão sozinhos na escola e existem montes de pessoas interessantes que podem conhecer, conversar… dar uns amassos nos corredores ou foder nas casas de banho. Isto tudo claro, durante os tempos em que deviam estar na sala a apresentar um trabalho importante ou a fazer teste.

 Não compreendo é como há gente que se pudesse escolher preferia ficar na cama todas as manhãs. E fechar-se em casa o resto do dia. Lá no sofá, á frente da televisão, a comer qualquer coisa doce, para criar barriga e engordar como porcos. Tristes.

 Por fim, na vida de um estudante de secundário, ainda há as visitas de estudo,as aulas com professoras boas, viagens ao estrangeiro…Resumindo esta merda toda, vida de estudante não é só livros e tpc’s. Foda-se, devem é pensar que não temos mais nada para fazer.

Estou a ouvir: The Misfits - Dig Up Her Bones
publicado por JoãoVieira às 18:45
link | comentar | ver comentários (5) | favorito
Quarta-feira, 10 de Fevereiro de 2010

Depressão ///▲

Photobucket

Tenho saudades do verão, da praia, das tardes de calor, e das noites quentes. Saudade de ver gente bonita a passear na rua com pouca roupa. Saudades das saídas e do que se vive nessa altura. Preciso da alegria que o sol trás. O inverno deixa-me numa constante depressão. Há qualquer coisa no mês de Agosto que nos muda. É a alegria e sensações que vem com o calor nessa altura do ano. Parece que andamos excitados 24 horas por dia, durante 7 dias por semana. O que melhor nos pode acontecer na vida parece que tem tendência a acontecer debaixo do sol quente dessa estação. O sexo é melhor, ninguém pode negar isso. Parece que o calor une os corpos. É sexo na água, em casa de banho, na sombra, na praia, nas barracas. Fodemos em qualquer hora e em qualquer lado. E é a estupidez dos amores de verão, aqueles romances tórridos mas com um limite de tempo. Terminam assim que o verão chega ao fim. Nunca gostei muito disso mas o que é engraçado é que parece que quando queremos que esses amores durem para além do verão, e fazemos por isso, eles parecem não aguentar muito mais tempo que isso. Ou então o problema sou eu. Deve ser da falta do sol de Agosto. O que eu sei é que preciso de tudo isso de volta antes que estes dias cinzentos dêem cabo de mim. Estou mesmo farto da puta de escola. De estar fechado dentro de 4 paredes. Durante um dia inteiro.5 dias por semana. Preciso de férias caralho!

 

 

É a Joaninha,clica na imagem.

Estou a ouvir: 1º Set 2010 produzido por dj Miguel Pinto// radioutopia.net
publicado por JoãoVieira às 15:15
link | comentar | ver comentários (4) | favorito
Terça-feira, 2 de Fevereiro de 2010

A noite de hoje, a de ontem, e a noite antes dessa…///▲

Photobucket

Não vivo. Não rio. Não choro. Não amo. Não sofro. Não fodo. Nem me venho.

 Não falo. Não grito. Não me calo.

 Estou quieto. E não paro de me mexer. Não saio daqui. Estou muito além. Na minha mente. A olhar-te. Ignorar-te. A imaginar-te. Penetrar-te.

 Estou dentro de ti. Na minha cama. Na tua. Na casa de banho. Na sala. No sofá. Á frente da televisão.

 Continuo aqui. Acompanhado. O meu subconsciente. A minha vontade. Imagino. Um dia. A amar-te. Beijar-te. Despir-te. Tocar-te.

 Continuo a imaginar. Fecho os olhos. Adormeci…

 

Estou a ouvir: Buy Now - Body Crash (Dirty South Remix)
publicado por JoãoVieira às 21:02
link | comentar | ver comentários (2) | favorito
Domingo, 31 de Janeiro de 2010

Uma história sobre sexo///▲

Photobucket

Era uma vez Sexo, sexo, sexo e sexo um gajo que Sexo, sexo, sexo e sexo conheceu uma Sexo, sexo, sexo e sexo e depois Sexo, sexo, sexo e sexo pediu-lhe o Sexo, sexo, sexo e sexo. Combinaram um Sexo, sexo, sexo e sexo e depois Sexo, sexo, sexo e sexo mas decidiriam Sexo, sexo, sexo e sexo na Sexo, sexo, sexo e sexo dele. Então Sexo, sexo, sexo e sexo muito, e no fim Sexo, sexo, sexo e sexo mais um pouco e a seguir Sexo, sexo, sexo e sexo mais ainda. Despediram-se com Sexo, sexo, sexo e sexo, olharam para as horas e Sexo, sexo, sexo e sexo viram que Sexo, sexo, sexo e sexo ainda havia tempo para Sexo, sexo, sexo e sexo. Dias mais tarde encontraram-se e Sexo, sexo, sexo e sexo porque já não Sexo, sexo, sexo e sexo desde da ultima vez. Foram desta vez até casa dela e Sexo, sexo, sexo e sexo.

 

Estou a ouvir: Turn to Standby - Matter
tags:
publicado por JoãoVieira às 18:02
link | comentar | ver comentários (1) | favorito

Às vezes penso em…///▲

Photobucket

Como será foder com alguém, que gostamos mesmo? Como nos sentimos no fim? Será que temos um melhor orgasmo? Ou não? Por gostarmos da pessoa temos mais tesão? Será que dura mais? Quando elas gostam de nós ficam mais molhadas? Os sentimentos interferem na qualidade do acto? Será assim o sexo AINDA melhor? O amor provoca múltiplos orgasmos? Um logo a seguir do outro? Faz-nos gritar de prazer? Melhora o efeito das preliminares? O amor é um estímulo? Ele faz-nos superar as dificuldades sexuais? Prolonga o prazer? O amor faz-nos ter ainda mais sexo?

Ou…

independentemente de haver sentimento ou não, sexo é sexo e acabou?

 

Estou a ouvir: Axwell - Together (Albin Myers Remix)
tags:
publicado por JoãoVieira às 13:41
link | comentar | ver comentários (3) | favorito
Quinta-feira, 21 de Janeiro de 2010

Chamada Anónima///▲

Photobucket

Eu quero é que me continues a ligar quando estiveres no banho...

Estou a ouvir: a agua como som de fundo
publicado por JoãoVieira às 22:05
link | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quarta-feira, 20 de Janeiro de 2010

Conversa extra-ordinária///▲

Photobucket

-O que tu queres sei eu.

-E o que é?

-Tu sabes.

-Diz-me o que eu quero… vá diz...

-Queres fazer comigo o que a primavera faz com as cerejeiras.

-Sim, quero-te foder.

-Eu sei...

publicado por JoãoVieira às 14:33
link | comentar | ver comentários (5) | favorito
Quarta-feira, 6 de Janeiro de 2010

Amor em tempos de hi5

Photobucket

Foto por Jozé de Abreu

Esqueçam as cartas, as serenatas, as declarações à frente dos pais, e as figuras tristes para provar o que sentimos. Estamos no século XXI, o amor acontece à distância de um clique, em qualquer computador com ligação à internet. Não há cá vistas nenhumas, é amor ao primeiro email.

 Amor hoje: As pessoas criam uma conta numa rede social, conhecem outras pessoas do sexo oposto ou do mesmo sexo. Começam a falar e acabam por se tornarem intimas pela internet. Namoro e diálogo por msn. Foder é pela Web, obviamente não é tão bom mas fica ao critério de cada um escolher o que prefere. E se um dia também der para engravidar por este meio, recebendo o esperma do companheiro por email (deve ser um spamERMA), então engravidasse também online.

 Para quê abandonar o lar e correr mundo à procura da cara-metade? Quando podemos sempre sentirmos realizados ao conhecer alguém que tem uma imagem de apresentação muito bonita, que provavelmente está cheia de photoshop? Este programa tem feito muitas almas felizes ao tornar possível o milagre de transformar grandes monstros em verdadeiras princesas de contos de fadas. Obrigado Senhor por esta magnifica criação, pena é que não dê para adaptar à vida real…porque pessoalmente o susto continua o mesmo. Por isso às vezes o melhor é mesmo ficarmo-nos pela internet, não vá a experiencia em pessoa estragar o romance. Quantos gajos já não se arrependeram depois do primeiro encontro a dois? (”jasuuuuus, ela é tão feiaaa, onde está a minha mãe?”).

 A partir do momento em que o ser humano criou o amor e sexo virtual eu posso dizer, com toda a certeza, que atingimos os extremos da dependência de internet.
 Se continuarmos deste modo, no futuro podemos esperar um estilo de vida que se resumirá a masturbações feitas à frente dos computadores por pessoas que vivem fechadas nos seus quartos, isoladas do mundo real, possuídas por uma falsa sensação de amor, amor esse por outras pessoas com quem nunca estiveram na vida mas que têm mais de 3000 amigos no facebook, hi5 ou twitter.

 Outra vantagem espectacular em tudo isto é que quando o tráfego da paixão acaba em cada um é só “Bloquear” e depois “apagar contacto”, e está o assunto arrumado de todo.

 

Estou a ouvir: Kid Cudi - I Poke Her Face (Feat Kanye West , Common)
publicado por JoãoVieira às 03:10
link | comentar | ver comentários (3) | favorito
Domingo, 3 de Janeiro de 2010

Oportunidade de um vida ///▲

Photobucket

Foto por Erotica

Tínhamos tudo. Tínhamos o mundo para nós e todo o tempo que quiséssemos. Tínhamos a liberdade de fazermos o que queríamos sem quaisquer limitações. Nunca precisamos de estabelecer algo sério entre nós porque sabíamos que íamos sempre estar presentes um para o outro. Falávamos o tempo todo. Sexo era um assunto que ocupava a maior parte desse tempo. Estávamos algumas vezes juntos e era como tu dizias, “fazíamos tudo em qualquer lado, como nos filmes”. Andávamo-nos a comer em todos os lugares onde e quando a vontade e indecência surgisse.

 Eu dei-te a oportunidade de teres uma vida diferente. Dei-nos a hipótese de viver com quem quiséssemos, comer quem quiséssemos, foder com quem quiséssemos…porque no fim iríamos continuar lá, um para o outro. Eu vivia a minha vida, tu vivas a tua…e era no cruzamento de ambas que nós nos encontrávamos, para uma sessão de sexo num espaço público, ou para simplesmente conversarmos.

 Eu dei-te aquilo que muito provavelmente mais ninguém te poderia dar. A oportunidade de seres feliz, a partir desta forma. Vivias como querias, não sofrias. Nada te poderia deitar abaixo porque tu… Tu estavas comigo no topo do mundo. Estávamos acima de tudo e todos.

 Tu preferiste uma vida normal. Uma vida como toda a gente leva. Namorado, um relacionamento sério, dramas amorosos, e choros estúpidos por razões incompreensíveis que podiam facilmente ser evitadas. A falta de atenção dele para ti, os compromissos e “amigas” que parecem ter mais prioridade que tu, namorada dele, são a prova que estás mesmo a conseguir viver uma vida assim. Uma vida que não caminha para felicidade mas que se questiona porquê.

 O teu “A” magoa-te, ignora-te e trai-te. E como diz a sabedoria popular, “o pior cego é aquele que não quer ver”.

 Apesar do triste fim da nossa “aventura” não me arrependo de nada que fiz, e se fosse hoje faria tudo da mesma forma, ou ainda melhor.

 

Post dedicado à Ana Cristina, pelo bons velhos tempos.

 

 

Estou a ouvir: Shinichi Osawa - Our Song
publicado por JoãoVieira às 03:39
link | comentar | ver comentários (2) | favorito
Terça-feira, 22 de Dezembro de 2009

És um bocado puta.

Photobucket

Estou a ouvir: Dennis Ferrer - Hey Hey
publicado por JoãoVieira às 15:48
link | comentar | favorito

▲Mais//Textos//

Vida de estudante é muito...

Depressão ///▲

A noite de hoje, a de ont...

Uma história sobre sexo//...

Às vezes penso em…///▲

Chamada Anónima///▲

Conversa extra-ordinária/...

Amor em tempos de hi5

Oportunidade de um vida /...

És um bocado puta.

História erótica do coisa...

Dor de saber o que perdi.

Um dia hei-de foder uma s...

Desabafos de quem.

Sexo Mata...O Amor Morreu...

▲Mais//Comentados//

▲arquivos//

Agosto 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

▲_

zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzz